quarta-feira, 14 de junho de 2017

CASTELLO BRANCO (CAMILO) -MARIA! NÃO ME MATES,QUE SOU TUA MÃE.
Meditações sobre o espantoso crime acontecido em Lisboa: Uma filha que mata e despedaça sua mãe.
Mandada imprimir por um mendigo , que foi lançado fora do seu convento, e anda pedindo esmola pelas portas.
 Offerecida  aos pais e famílias e aquelles que acreditam em Deus.
Porto. Tip. de Ecco. 1848. 
 Este folheto, primeiro da colecção «Contramargem, é uma edição & Etc. Lisboa. 1979. in- 8º de 13-I págs. Broch.€40,00
Tiragem de 1000 exemplares.
(portes grátis)

Sem comentários:

Enviar um comentário